100 Inside Out Days

17:37

É muito provável que já tenham ouvido falar do desafio 100happydays. Há uns tempos, era muito comum ver as pessoas partilharem os momentos mais felizes dos seus dias através de fotografias no instagram, facebook ou twitter com a hashtag 100happydays. E porquê?

Tudo começou com Dmitry Golubnichy e com a sua procura pela felicidade nas pequenas coisas da vida. Aos poucos, as pessoas começaram a aderir e, se seguirem a hashtag, verão milhares de coisas que fazem as pessoas felizes.

Eu nunca cheguei a fazer o desafio, mas decidi fazer uma pequena adaptação, casando-o com um dos meus mais recentes filmes favoritos: o Inside Out (ou Divertida Mente, na tradução portuguesa).

A ideia não é ir contra a ideia do 100happydays, de todo, porque sou completamente a favor de realçar as pequenas coisas boas que temos e que fazem de nós mais felizes. A alteração ao desafio surgiu sobretudo porque tenho genuína curiosidade em saber qual será o resultado final.

Mas então, no que é que o desafio consiste?

Se viram o Inside Out, devem lembrar-se das esferas que, no final de cada dia, eram processadas. Cada uma delas continha uma memória da Riley, que ganhava a cor conforme o sentimento que lhe estava associado. As cores eram mais ou menos estas.

                      Alegria                                                                                                     Tristeza


                     











                     Medo                                                              
                                                                                                                                         Raiva






                 Repulsa                                                                                                     Surpresa


Tal como no filme, vou fazer a experiência de "armazenar" as emoções dominantes de cada dia. Não há nenhuma regra no que diz respeito à quantidade de emoções que armazeno diariamente. Pode ser um dia sem grandes variações e ter apenas uma emoção dominante, ou se calhar até pode ser uma autêntica montanha russa e ter as seis emoções todas!

E por falar em seis emoções, apesar de no filme serem representadas cinco, decidi acrescentar a surpresa ao grupo, porque só não passou no "casting" final por um triz.

Mas por que é que estou a fazer isto?

Tenho uma certa curiosidade em olhar para os resultados e tentar perceber qual a emoção que se repete mais vezes. Como não mencionar o motivo pelo qual estive triste, ou alegre, ou surpresa, também quero fazer o exercício de tentar perceber se ainda me lembro sequer da razão por que aquele foi o sentimento dominante naquele dia e, no caso de ser negativo, se o consegui ultrapassar.

Prevejo já que será realmente difícil, por vezes, escolher emoções. Não é algo que esteja habituada a fazer e, provavelmente, às vezes até vou sentir que não me consigo expressar através de apenas seis. 

Não é demais dizer que isto não tem qualquer rigor científico, é apenas o exercício de uma curiosa que adorou o Inside Out.

E, já agora, se também quiserem averiguar no que é que isto vai dar, experimentem e falem-me dos vossos resultados!

Daqui até ao final do ano, vou tentar entender quem fala mais alto dentro da minha própria mente.

You Might Also Like

0 comentários

Segue o Capítulo 3!